Música

Efeito Fade

08 abril 2018

Resenha #47 - As Pupilas do Senhor Reitor

Título do Livro: As Pupilas do Senhor Reitor
Autor: Júlio Dinis
Editora: Ática
Páginas: 281
Sinopse:
Ambientada na segunda metade do século XIX em uma aldeia portuguesa, conta a história de Margarida e Clara, duas moças que são tuteladas pelo reitor da paróquia da aldeia e seus romances com os filhos do fazendeiro José das Dornas: Daniel e Pedro.







Olá literários e pessoas apaixonadas por livros em geral!!!
Tudo bem com vocês??

Recentemente por conta da faculdade tenho tido a oportunidade e a necessidade de ler alguns livros clássicos de várias áreas da literatura, sendo que o livro de hoje que vou falar pra vocês é um clássico da literatura portuguesa.

"A pequena sentada junto de uma pedra informe e musgosa, folheava com atenção um livro [...]"

As Pupilas do Senhor Reitor é um livro publicado inicialmente em formato de folhetim, ou seja era lançado um capítulo de cada vez no jornal, e que por causa de seu sucesso acabou um ano depois sendo publicado em formato de livro mesmo. A edição do livro que está sendo usada pelo blog é da Editora Ática, mas existem outras editoras que já lançaram o livro também. Escrito pelo português Júlio Dinis, ele é um dos romances representantes da terceira geração da literatura portuguesa que traz tanto algumas características ultrarromânticas mas também é considerada como pré-realista.

 "Margarida conservou-se por algum tempo silenciosa. Depois, por uma dessas resoluções, que são raras em caracteres como o dela, mas, enérgicas quando chegam a formar-se, disse com uma espécie de desespero, revelado nas palavra, no gesto, nos movimentos, e tomando com ímpeto as mãos da irmã, que apertou convulsivamente na suas:
- Por quê? Queres sabê-lo? Porque o amo."

O livro traz a história de duas irmãs que são típicas camponesas: Margarida, conhecida também por Guida e sua irmã Clara. Margarida é filha do primeiro casamento de seu pai e Clara é filha do segundo casamento do mesmo, porém a primeira por ter se tornado órfã de mãe foi criada pela madrasta que a tratava mais como uma empregada. Mesmo assim ambas irmãs cresceram muito amigas e gostavam uma da outra, e Margarida por ter um coração bondoso não chegou a odiar a madrasta. Porém, após a mãe de Clara vim a falecer ambas acabam se tornando pupilas do Sr. Reitor (para quem não sabe, reitor representa o que seria o pároco de uma igreja para nós atualmente).

"Clara possuía um coração excelente, mas faltava-lhe cabeça para superintender nos negócios da casa; por isso pedira a Margarida que os gerisse ela e lhe deixasse ir gozando a apetecida liberdade dos seus dezoitos anos.
O pároco, por tutor das suas órfãs, sancionou e dirigiu com seus conselhos [...]"

Mas além das duas irmãs que nos são apresentadas, também temos no livro os dois filhos do Sr. José das Dornas: Daniel e Pedro. Enquanto Pedro tem o talento para o trabalho braçal, Daniel acaba por ser um rapaz que não tem esse talento para a vida do campo e por isso quando seu pai pede auxílio ao Reitor o mesmo acaba recomendando que este mande o menino para os estudos.

"É verdade. O pequeno é fraquito e decerto não pode com o trabalho do campo, mas... para que queres tu o dinheiro, José? Acaso não terás alguns centos de mil-réis ao canto da caixa para pôr o rapaz nos estudos? Não pode fazer dele um lavrador? Fá-lo padre, letrado ou médico, que não ficarás pobre com a despesa."

Apesar do livro ter como enfoque nesses quatro protagonistas, a mesma se liga por causa de dois deles: Margarida e Daniel que vieram a ter uma amizade quando novos e que na verdade era um romance de infância.

"[...] passou facilmente o braço pelo pescoço da pequena Guida, e pousou-lhe na fronte um beijo que ainda nem sequer a fazia corar."

Porém, ambos são separados na juventude e é a partir da volta de Daniel que o enredo vai se desenrolando, e se tornando algo que toma proporções que coloca cada personagem em perspectivas opostas uns dos outros e em situações um tanto complicadas.

"- O que há de dizer o irmão ingrato e perverso, à irmã sublime e generosa?"

É difícil eu tratar do livro sem está fazendo a mesma análise que eu fiz para o desenvolvimento de um trabalho de faculdade, e talvez seja por esse motivo que a resenha possa ficar um tanto confusa e admito também que eu pensei inúmeras vezes se traria ela ou não para cá?? Mas como o blog são minhas experiências como leitora eu achei necessário trazer minha opinião sobre As Pupilas do Senhor Reitor para vocês.

"- Santa vida esta! Assim é que é ganhar o reino do céu!"

O romance é bem simples, traz várias características dos romances clássicos que somos apresentados no decorrer da nossa vida de estudante. Porém, o mesmo traz influências das outras escolas que o antecederam (olha a estudante de Letras falando aqui), por exemplo dentro da obra podemos ver influências que podem ser caracterizadas como vindas das cantigas trovadorescas.

"Morena, Morena
De olhos castanhos
Quem te deu, morena,
Encantos tamanhos? Encantos tamanhos
Não vi nunca assim [...]"

Essas influências normalmente chamamos de intextualidades, que são os textos conversando entre si. Além disso, aqui na obra temos um narrador que sabe o que está acontecendo e muitas vezes ele chega a se intrometer dentro da obra, o que dar a impressão dele conversar com o leitor.

"Perdoem-me as leitoras o pouco delicado da confrontação; mas bem vêem que ambos eles embriagam."

Mas deixando esse meu lado de estudante de lado, eu não falei muito do enredo da obra pois a mesma só começa a se desenvolver a partir do momento que Daniel volta dos estudos da cidade para sua aldeia e inicia-se uma certa confusão que envolve todos os protagonistas. Porém, eu não posso dizer mais do que isso pois se não estarei dando spoilers mas eu tenho que admitir que eu tenho um certo bloqueio em ler clássicos tanto portugueses quanto brasileiros, pois eu sempre acho que estou lendo algo do mesmo e são poucos aqueles que me prendem que eu acabo realmente gostando.

"Mas deixemos as lágrimas, e as íntimas e não ostentosas tristezas de Margarida [...]"

Como estudante o que me vêm atraindo para essas obras são como as personagens femininas são retratadas e no romance a figura feminina é vista de duas formas normalmente diferente, em As Pupilas do Senhor Reitor temos duas personagens mulheres que são opostas mas que uma se sobressai sobre a outra pois esta é pintada quase como uma divindade.

"Sentia-se vontade de ajoelhar diante dela; a alma toda ia nesta contemplação, quase extática."

As Pupilas do Senhor Reitor é um livro que para mim como leitora é mais do mesmo, apesar de ser uma das obras mais recomendadas do autor eu continuo a vê-la como uma leitura que para mim às vezes era boa e que às vezes não tinha nada de novo. Porém, acabei classificando o livro como algo bom de se ler e se distrair. O livro ganhou duas adaptações para novelas, sendo uma em 1970 pela Record e a outra em 1994 pelo SBT na qual eu acabei vendo alguns capítulos disponíveis pelo Youtube. É um livro que eu recomendo para aqueles que querem tirar sua conclusão em relação a livros clássicos portugueses e que se identifica com obras desse período, mas também é recomendado para aqueles que tem uma certa curiosidade sobre o enredo pois se você tem o conhecimento nem que seja pouco das adaptações como eu, este livro chega a ser diferente do que você viu da adaptação.

14 comentários :

  1. Olá
    Nossa tem tanto, mais tanto tempo que li esse livro que nem lembrou mais da história, mas confesso que depois de ler a sua resenha desanimei de fazer uma releitura. Estou bem cansada de mais do mesmo também. Beijuh

    ResponderExcluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Oi Antonia tudo bem? Eu lembro de ler lido As Pupilas do Senhor Reitor na escola, mas na faculdade nenhum professor pediu a leitura curiosamente. Lembro um pouco da novela do SBT, mas ao ler sua resenha cheguei a conclusão de que vale a pena ler de novo, não lembro de quase nada rs

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  4. Nunca li este livro, mas como se trata de um clássico português, que até mesmo teve adaptações, me deixou com uma certa curiosidade. Irei tentar lê futuramente, espero que eu goste. Bjs !

    ResponderExcluir
  5. Oi! Amo clássicos! Li este livro há muitos anos para escola e confesso que não me lembrava de nada da história. Apesar da escrita mais rebuscada e um pouco diferente, a história é leve e agradável. Obrigada por me relembrar deste clássico!


    Bjoxx – www.stalker-literaria.com

    ResponderExcluir
  6. Oiii,

    Adoro esses clássicos que eram para ser só um folhetim. No inicio achei que eram histórias independentes (a dos rapazes e a das moças), ai depois fiquei super curiosa para saber como eles todos vão se ligar ao reitor e como o romance vai se desenvolver. Dica super anotada.

    Beijinhos...
    http://www.paraisoliterario.com/

    ResponderExcluir
  7. Eu sabia que conhecia esse título de algum lugar hahhahaha E essa capa é clássica dos livros da gente ler no ensino médio.
    Gostei da sua resenha, ela foi bem explicadinha no que esperar e encontrar no livro, mas não sei se leria por agora. O gênero não faz muito meu estilo.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Nossa esse livro é bem antigo, e adorei como trouxe suas opiniões de forma sincera.
    Eu adoro histórias de época, contextos históricos, mas confesso que não me senti com vontade de embarcar nessa leitura por enquanto.
    Quem sabe mais pra frente eu dê uma chance.
    Beijos!

    Camila de Moraes

    ResponderExcluir
  9. Oiii tudo bem??

    Sou leitora que tem medo de livros clássicos, medo de ser enfadonho, ou não conseguir acompanhar a escrita e etc.
    Não conhecia, nem nunca tinha ouvido falar, mas gostei de conhecer.
    Uma pena que achou mais do mesmo.
    Adorei a resenha.
    BJus taga

    ResponderExcluir
  10. Assim como você eu também tenho um certo bloqueio com clássicos. Meu problema é a linguagem, acho muito absoleta e me incomoda bastante.
    Esse livro em questão nunca me atraiu, pra te falar a verdade até ler a sua postagem eu nem me recordava da sua existência! Hahaha
    Uma coisa que eu não sabia é que ele tinha sido adaptado por duas emissoras diferentes...
    Eu não leria, mas que bom que, apesar dos pesares, acabou sendo uma boa distração.

    Beijos
    - Tami
    https://www.meuepilogo.com

    ResponderExcluir
  11. Olá! Tudo bom?

    Ainda não tinha ouvido falar da obra apesar de já ter tido grande contato com livros clássicos anos atrás, porém infelizmente é difícil eu encontrar um que de fato me prenda e me fisgue. Fiquei curiosa sobre as adaptações na tv, também não tinha ouvido falar sobre e fiquei curiosa. Enfim, vou deixar a dica passar no momento porque não sei se o leria, mas fiquei bem curiosa sobre o enredo, admito haha ♥

    Um beijo
    http://romanceerotic.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  12. Olá, eu gosto de clássicos, já tinha ouvido muito o nome desse livro, mas não sabia ao certo do que se tratava a história. Gostei de saber mais sobre a trama e os personagens através do seu post. Bacanas esses apontamentos oriundos do seu trabalho acadêmico.

    ResponderExcluir
  13. Tem séculos que já li isso.
    Na época de escola.
    Confesso que na época não curti; talvez por ter sido obrigatória a leitura e em um período que o gênero não era lá muito animador.

    Sua resenha está bem pontuada nas partes necessárias e me fez inclusive relembrar um pouco de quando li e como me senti fazendo trabalho a respeito.

    Apesar de talvez não ter julgado o livro como deveria na época, sinceramente não Sei se daria uma nova chance.


    Beijos.

    www.alempaginas.com

    ResponderExcluir
  14. Oie!

    Confesso que eu não sou uma pessoa muito fã de clássicos, acompanhei a sua resenha e tenho que confessar que o livro em si não me chamou a atenção não. Não sei se o leria, acho que teria uma dificuldade muito grande em ler não apenas pelo linguajar, mas pelo mais do mesmo.

    beijos,
    Mayara

    ResponderExcluir