Música

Efeito Fade

27 março 2017

Resenha #25 - A Comissão Chapeleira

Título do Livro: A Comissão Chapeleira
Autora: Renata Aventura
Saga: A Arma Escarlate #2
Editora: Novo Século
Páginas: 655
Skoob | Americanas | Saraiva | Amazon | Submarino
Sinopse:
Atormentados pelos crimes que cometeu em seu primeiro ano como bruxo, tudo que Hugo mais queria naquele início de 1998 era paz de espírito, para que pudesse ao menos tentar ser uma pessoa melhor. Porém, sua paz é interrompida quando uma comissão truculenta do governo invade o Rio de Janeiro, ameaçando uniformizar todo o comportamento, calar toda a dissensão, e Hugo não é o único com segredos a esconder.
Para combater um inimigo inteligente e sedutor como o temido Alto Comissário, no entanto, será necessário muito mais do que apenas magia. Será preciso caráter. Mas o medo paralisa, o poder fascina, e entre lutar por seus amigos, ou lutar por si próprio, Hugo terá de enfrentar uma batalha muito maior do que imaginava. Uma batalha com sua própria consciência.

“ 'Lá vem a Comissão Chapeleira…' 
Viny brincou, e os alunos mais próximos deram risada, transmitindo o novo apelido, de ouvido em ouvido, para o resto do salão. 
Pronto, os coitados mal haviam chegado e já tinham sido batizados."

Hugo está de volta a Nossa Senhora do Korkovado, mesmo depois de tudo que aprontou ano passado, conseguiu cursar mais um ano na escola de magia do Brasil. Mas ao que parece ele ainda tem muito o que aprender, e os pixies vão precisar ajudá-lo em mais um ano. Mas, os pixies (Viny. Indio, Capi e Caimana) não fazem ideia do que espera por eles nesse novo ano.

É ano de corrida presidencial no mundo mágico e as eleições estão acirradas, um partido de esquerda e independente está na frente do conservador nas pesquisas. Todos estão exultantes... Só que um acidente? Ou será um assassinato? Vem pra mudar o rumo da história. O partido conservador acaba ganhando as eleições e com isso o momento mais prometido por Lazai Lazai nas campanhas: "Colocar ordem no Brasil!" E essa ordem virá por bem, ou por mal.

A comissão Para a Ordem e Moralidade Pública (apelidada carinhosamente de Comissão Chapeleira por Viny), invade a escola com o Alto Comissário Para Assuntos de Ordem e Decência – Defensor da Moral e dos Bons Costumes Mefisto Bofronte...  Ah! É ai que tudo começa a desandar. 

Antes de começar a ler esse livro lembre-se, se você é cardíaco tenha seus comprimidos a mão, se você não é prepare-se para ter mini infartos! Sim esse livro é cheio de emoções, novidades e surpresas a cada virar de página.

Em "A Comissão Chapeleira", Renata Ventura traz uma narrativa mais adulta e mais viciante, que te deixa preso do inicio ao fim. Voltando com  força total a suas críticas a realidade brasileira, dessa vez ela aborda alem da educação, a situação politica no Brasil e a truculência policial (assim como já havia feito no primeiro). Também nos faz pensar em quem realmente somos e o que podemos virar em momentos de desespero e agonia, em quanto podemos ser manipuladores e manipuláveis. E nos faz questionar se todas as regras impostas estão tão certas como nos fazem pensar.
Relembrando com uma maestria e crueldade únicas, a fase mais negra e monstruosa do país, a ditadura militar, este livro vai te levar a ter emoções fortes como: raiva, desespero, compaixão, preocupação e agonia. Além de lhe fazer  não querer parar de ler por nenhum segundo.

Li "A Comissão Chapeleira" em dois dias, Não larguei esse livro por nada, e nunca senti tanta agonia em um livro só. Chegou a um ponto que precisei externalizar pra não ter um mini infarto. Me fez refletir muito sobre vários pontos, não só da sociedade em geral, mas do meu íntimo. Quem eu era e como agiria em situações como as do livro... Ao mesmo tempo eu conseguia sentir claramente a emoção de cada personagem. Não me decepcionou em nenhuma página, pelo contrário, me deixou mais ansiosa pelo próximo livro e cheia de teorias que fumaçam na mente. 

Com um vilão icônico que me faz odiar cada vez mais ele, não importa se ele parece simpático ¬¬' e que lhe faz sentir do medo a fúria. Além disso, tem Capi melhor personagem ever na qual aprendi muito e me apaixonei mais ainda por ele como pessoa. E tem Hugo na qual tive muita. muita raiva mas que preciso admitir que ele esta melhorando muito. E claro, os personagens humanizados que me fizeram apegar até mesmo o Abelardo. 

Enfim, só posso dizer pra você que leia! E se apaixone novamente e sofra muito com o universo mágico brasileiro. Ah! Só relembrando que você precisa segurar o coração... 

Ah! Só mais uma coisinha se você quiser adicionar os personagens do livro no Facebook (Isso mesmo você pode! :O), vou deixar os links abaixo:


Nenhum comentário :

Postar um comentário